Find the latest bookmaker offers available across all uk gambling sites www.bets.zone Read the reviews and compare sites to quickly discover the perfect account for you.
segunda-feira , 18 dezembro 2017
Home / Notícias / Agronegócio / Atendendo à demanda da Famasul, Governo de MS modifica regras de licenciamento ambiental na suinocultura

Atendendo à demanda da Famasul, Governo de MS modifica regras de licenciamento ambiental na suinocultura

Após solicitação feita pela Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, a Semagro – Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar divulgou no Diário Oficial do Estado, desta sexta-feira (06), Resolução Semagro n° 651/2017, que altera normas e procedimentos para o licenciamento ambiental estadual e dá outras providências ao setor da suinocultura.

A demanda é fruto de um trabalho conjunto entre a Famasul, o Sindicato Rural de Itaporã, a Asumas – Associação Sul-mato-grossense de Suinocultores, Assuita, de Itaporã, Assugloria, de Glória de Dourados e dos demais elos da cadeia produtiva.

A resolução foi assinada pelo Secretário, Jaime Verruck, nessa quinta-feira (05), na sede da Federação, em reunião que contou com a presença do Presidente da instituição, Mauricio Saito, do Superintendente do Senar/MS, Lucas Galvan, do Secretário-Adjunto da Semagro, Ricardo Senna e de outras lideranças e profissionais do setor.

O documento apresenta indicações relacionadas ao setor de acordo com o tamanho e capacidade operacional das unidades produtoras, dividindo-a em micro, pequeno, médio, grande e excepcional porte, além de sistemas específicos de integração, como o Wean To Finish – Unidade de Crechário e Terminação.

“Compreendemos que a suinocultura sul-mato-grossense necessita de regras específicas que atendam a realidade do setor. Nesse contexto, a solicitação feita pela Federação ao Governo de MS, para adequação no processo de licenciamento ambiental para suinocultura, proporcionou desburocratização e agilidade, garantindo mais eficiência e sustentabilidade à cadeia”, afirmou o presidente da Famasul, Maurício Saito.

 

“A demanda de mudança chegou ate nós e criamos um grupo técnico entre Famasul, Associação de Suinocultores, Semagro e Imasul para analisar e fazer os ajustes necessários. Esse decreto muda o manual de licenciamento e imediatamente traz benefícios para a economia. Com essa mudança vamos aumentar, no prazo de dois a três meses, a capacidade de produção de cerca de 600 suínos por dia para abate, o que consequentemente gera emprego e renda, sem causar nenhum dano ambiental porque ela foi construída tecnicamente”, declarou o secretário Jaime Verruck.

 

De acordo a Unidade Técnica do Sistema Famasul, com apuração dos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, o rebanho suíno do estado atingiu 1,3 milhão de cabeças em 2016, ocupando o 9º lugar no ranking nacional. Quanto ao abate, o Mato Grosso do Sul ocupa o 8º lugar na produção nacional. A suinocultura sul-mato-grossense é destaque também nas exportações, entre janeiro e setembro deste ano totalizou 5,7 mil toneladas de carne suína in natura, colocando o estado na 7ª posição no cenário nacional, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior – Secex/MDIC.

Fonte: Assessoria de Comunicação Sistema Famasul – Ana Brito

Sobre Paola Loureiro

Paola Loureiro

Paola Loureiro – Jornalista DRT/MS 1245
Trabalho com comunicação desde 2006.
Assessoria de comunicação, artes gráficas, mídia social,fotografia, criação de logomarcas e jornalismo com seriedade.
“Seja humilde, pois, até o Sol com toda sua grandeza se põe e deixa a Lua brilhar.”

Veja mais!

Cliente de MS que achou fungo no refrigerante não receberá indenização

Caso ocorreu em Campo Grande no ano de 2014 Foi negado por unanimidade provimento ao ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *