Find the latest bookmaker offers available across all uk gambling sites www.bets.zone Read the reviews and compare sites to quickly discover the perfect account for you.
Notícias de Última Hora
karabuk bayan escort kastamonu bayan escort burdur bayan escort kirikkale bayan escort nigde bayan escort aksaray escort amasya escort erzurum escort bartin escort batman escort

MP-MS volta atrás e retira ‘carta branca’ para Reinaldo gastar no Aquário sem licitação

Governo do Estado tenta aval para gastar R$ 40 milhões em obra

O procurador-geral de Justiça, Paulo Cézar Passos, voltou atrás e emitiu parecer contrário à manifestação anterior do próprio MP-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul que endossava mais gastos na obra do Aquário do Pantanal sem licitação. A ‘carta branca’ havia sido solicitada pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) para o Governo do Estado gastar quase R$ 40 milhões na obra sem processo licitatório.

O Aquário do Pantanal, obra iniciada pelo ex-governador André Puccinelli (MDB) e deixada inacabada, está desde o começo implicado em diversas denúncias e suspeitas de corrupção e desvio de verba pública. Na manifestação dessa semana, o PGJ lembra que acordo anterior entre o Governo do Estado, o MP e o TCE-MS (Tribunal de Contas do Estado) dava aval para o gasto milionário, mas a obra só não foi retomada porque a Justiça não concordou com o acordo.

O governador Reinaldo Azambuja recorreu e aguarda decisão em segunda instância. O acordo foi assinado, na época, pelo procurador Edgar Roberto Lemes de Miranda. Agora, depois de o Aquário voltar a ser alvo de questionamentos públicos, Paulo Passos diz que a retomada da obra sem licitação não deve acontecer porque só faltam cinco meses para o término do mandato de Azambuja. E, em meio a campanha eleitoral, há pouco tempo para a conclusão da obra.

“[…] restantes menos de cinco meses para o término do mandato, em pleno período de pleito eleitoral, que formalmente se iniciou com a recente realização das convenções pelos partidos, obviamente sem garantias de recondução e sem prazo razoável para conclusão ou avanço significativo de obra de tamanha magnitude, o acordo está prejudicado na sua essência, que era exatamente a de propiciar, de forma célere, a entrega da obra à população […]”, admite o PGJ.

‘Em caso de não reeleição’…

O procurador Paulo Cézar dos Passos lembra, ainda que, em caso de não reeleição de Reinaldo, a retomada da obra seria interrompida já em janeiro. “Por parte do Chefe do Executivo que venha a ser eleito e não tenha participado das tratativas”.

A mudança de posicionamento do MP-MS com a justificativa do PGJ, apesar de retirar a ‘carta branca’ para o governo gastar mais R$ 40 milhões na obra sem licitar nem um centavo, endossa o discurso do governador Reinaldo. Apesar de ter assumido o cargo 4 anos atrás, nos últimos meses, Azambuja tem usado a ausência de autorização para gastar como quiser como ‘desculpa’ para chegar ao fim do mandato com a obra que herdou de Puccinelli inacabada.

 

Fonte: MidiaMax

Sobre Vanessa Coelho

Avatar

Veja mais!

Após diálogo com servidores, Governo estende para o 2° semestre retorno da jornada de 8h de trabalho

 Depois de diversas reuniões com lideranças sindicais e entidades representativas dos servidores públicos estaduais, o ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *