Com recordes nacionais de temperatura em MS, onda histórica de calor está no fim, diz Inmet

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
07/10/2020
Redação
Água Clara, que registrou 44,6°C, entrou para a história da climatologia como uma das maiores temperaturas já registradas no Brasil

A onda de calor em que Mato Grosso do Sul bateu recordes de mais de 100 anos, está chegando ao fim, de acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). Para se ter uma idéia, a cidade de Água Clara, que registrou 44,6°C na segunda-feira (05) entrou para a história da climatologia como uma das maiores temperaturas já registradas no Brasil.

O município sul-mato-grossense só ficou atrás da cidade de Bom Jesus do Piauí, que, de acordo com o Inmet teve a maior temperatura oficialmente medida no Brasil, no dia 21 de novembro de 2005, de 44,7°C.

Ainda, de acordo com o Instituto, bateram recordes de calor este ano, as cidades de Cuiabá (MT), que registrou 44°C no dia 30 de setembro e Campo Grande ficou logo atrás, com 41°C, na segunda-feira, dia 5 de outubro.

Já nesta terça-feira (06), a cidade de Nova Maringá (MT), registrou 44,6°C. Este é o segundo maior valor registrado no Brasil e empata com a marca de Orleans, em Santa Catarina, que experimentou este calor em 6/1/1963.

Onda de calor chegando ao fim

Os recordes de calor ficarão para a história da climatologia e já estão chegando ao fim. A expectativa de retorno da chuva em forma de pancadas isoladas, como aconteceu nesta terça-feira (06) em Campo Grande e Ribas do Rio Pardo, pode ocorrer a partir de domingo (11).

Já chuvas generalizadas tem a possibilidade de acontecer entre a próxima terça (13) e quarta-feira (14), podendo pôr fim a este último período de estiagem que ocorre desde 22 de setembro. O volume para o período ainda será baixo com acumulado de 20 milímetros. A partir das chuvas, as temperaturas terão ligeiro declínio voltando a normalidade esperada do mês entre 18°C a 35°C em todas as regiões de Mato Grosso do Sul.

Já na segunda quinzena do mês as chuvas podem ocorrer de forma mais espalhada a partir do dia 22 de outubro com acumulado de até 20 milímetros. Antes disso, elas devem se concentrar nos setores norte e bolsão associado a corredores de umidade contribuindo com acumulado de até 30 milímetros, conforme estimativa do Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima).

Dayene Paz/midiamax

Quer contar alguma coisa? Então conta pro Notícias MS !

Se você tem alguma informação importante e quer compartilhar, conta pra nós!

Conta aí meu Povo:
WhatsApp (67) 98448-9787

Redes Sociais:
https://www.facebook.com/notims
https://www.instagram.com/noticiasms/

O sigilo é garantido pela lei, envie denúncias, reclamações e sugestões.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp