Após “último frio do ano’, outubro deve vir com chuvas e forte calor

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
26/09/2022
CORREIO DO ESTADO / JUDSON MARINHO

Frentes frias que foram registradas em várias semanas de setembro podem ser as últimas de 2022

O clima em Mato Grosso do Sul deve mudar drasticamente a partir do início do mês de outubro. As frentes frias das últimas semanas darão lugar à volta da sensação de calor, e o frio da semana passada pode ter sido o último do ano.

Apesar dos prognósticos do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) indicarem que, no próximo mês, a precipitação de chuvas terá tendência acima da média, aumentando a recorrência, a temperatura não deve cair no Estado, pelo contrário, o clima deve voltar às médias máximas de 33°C em todas as regiões de Mato Grosso do Sul.

Outubro deve ser o mês mais quente de 2022. Porém, não se descarta a possibilidade de ocorrência de pequenas massas de ar frio durante o mês, que podem causar declínio de temperatura no centro-sul do Estado.

Nesta primavera, as temperaturas vão aumentar mais em frequência e menos em intensidade nas regiões norte, nordeste, oeste e leste de MS.

Segundo a meteorologista do Inmet Maitê Coutinho, o mês de outubro deve atingir a média de 177,5 milímetros de chuva no total do Estado.

“A média de temperaturas para a cidade de Dourados terá mínima de 17°C e máxima de 30C°. Campo Grande terá 18°C de mínima e 30°C de máxima em média em todo o mês de outubro. Já Paranaíba terá máxima de 33°C e mínima de 18°C’, informou Maitê.

As chuvas mais regulares têm tendência de começarem a partir da segunda quinzena do mês de outubro, porém, nas regiões norte, leste, oeste e parte do nordeste, devem ficar abaixo da média.

De acordo com o Inmet, neste mês, as chuvas podem alcançar 180 mm no sul, 140 mm no norte e de 110 a 120 mm no nordeste do Estado.

Em Campo Grande, a média do mês de outubro é de 150,6 mm, e há possibilidade dela ficar ligeiramente acima neste ano.

FIM DE SETEMBRO

Nesta última semana do mês de setembro, a previsão é de que volte o tempo carregado, com possibilidade de chuva.

Entre os dias 19 e 22 de setembro, foi registrada pelo Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima de MS (Cemtec) uma precipitação acumulada de 90 mm na Capital.

Três Lagoas foi o segundo município a apresentar o maior acumulado de chuvas, com 83 mm. Na cidade de Mundo Novo também choveu em grandes proporções, chegando a 76,6 mm.

Corumbá, Bela Vista e Paranaíba apresentaram a menor quantidade de precipitação, com acumulo menor que 20 mm.

Há previsão de chuva entre amanhã e o dia 5 de outubro, segundo o Inmet, e o acumulado pode chegar a 50 mm no sul de Mato Grosso do Sul, provocando o aumento da nebulosidade.

Para os próximos dias de setembro, as temperaturas máximas já começam a subir, se mantendo acima de 34°C em grande parte do País e podendo ultrapassar 38°C na Região Centro-Oeste. Nesta terça-feira, a máxima não deve passar dos 27°C, com muitas nuvens, pancadas de chuva e trovoadas isoladas.

Em Ponta Porã, no início desta semana, o tempo muda e a temperatura vai de 16°C a 27°C. Hoje, o dia será de chuva forte com trovoadas e ventos.

Para todo o Estado, o clima chuvoso segue de quarta até sexta-feira, com pancadas de chuva rápidas durante o dia e à noite e temperaturas que variam de 17º até a máxima de 26°C.

As temperaturas se intensificam na região central e no leste e oeste de MS a partir do próximo fim de semana, com poucas possibilidades de chuva, tendo mínimas de 18°C e podendo chegar a máximas de 35°C.

BALANÇO DO INVERNO

As chuvas durante o inverno de 2022 foram próximas ou acima da média em quase todas as regiões brasileiras, exceto na Região Sudeste, onde as chuvas ficaram 35% abaixo da média.

Na costa leste do Nordeste, foram registrados os maiores desvios positivos de chuva nos meses de junho e julho.

Em Natal, a estação meteorológica do Inmet registrou um total de chuva acumulado, em julho, de 601,2 mm, passando a ser o segundo julho mais chuvoso desde 1961, ficando atrás somente de julho de 1998, quando o acumulado do mês foi de 791,8 mm.

Quanto à temperatura média do ar, houve o predomínio de temperaturas acima da média, principalmente nas regiões Norte, Centro-Oeste e Sul, enquanto no Nordeste e no Sudeste foram observadas temperaturas próximas ou ligeiramente abaixo da média.

Em julho, foram registrados valores até 3°C acima da média desde o sul da região amazônica, passando pela parte central até o oeste da Região Sul.

SAIBA

A partir de novembro, haverá um aumento significativo na ocorrência de chuvas. O acumulado em todo o Estado deve ser de 180 mm.

Quer contar alguma coisa? Então conta pro Notícias MS !

Se você tem alguma informação importante e quer compartilhar, conta pra nós!

Conta aí meu Povo:
WhatsApp (67) 98448-9787

Redes Sociais:
https://www.facebook.com/notims
https://www.instagram.com/noticiasms/

O sigilo é garantido pela lei, envie denúncias, reclamações e sugestões.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp