Maracaju/MS
24°C
Scattered clouds
Dourados/MS
24°C
Scattered clouds

Câmara esclarece classificação da bandeira em coletiva de imprensa

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
24/07/2021
Redação
A Câmara realizou na manhã desta sexta-feira (23) uma Coletiva de Imprensa, esclarecendo os motivos que levaram Maracaju voltar a ser classificada como Bandeira Vermelha, pelo Programa Prosseguir, do Governo do Estado.

Participaram da Coletiva, o Presidente da Casa, vereador Robert Ziemann, os vereadores Rener Barbosa e Oséias Enfermeiro e na ocasião o Procurador Jurídico da Prefeitura, Dr. Alessandre Vieira e equipe da Secretaria de saúde.

O Procurador destacou os motivos que levaram Maracaju a essa classificação.

“São feitos comparativos entre as semanas anteriores para que a classificação de risco seja definida em cada município. Mesmo que Maracaju tenha apresentado reduções no número de casos, nossos óbitos não diminuíram. Tivemos aumento de óbitos, de pessoas que estavam internadas a muito tempo, e isso foi determinante na hora da escolha da bandeira. Bem como o rastreio, a população ainda apresenta muita resistência no momento de ser acompanhada pelas equipes de saúde, o que dificulta muito todo o nosso trabalho”, explicou o Procurador Jurídico do município, Alessandre Vieira.
Além de Maracaju, outras 33 cidades do estado de Mato Grosso do Sul foram classificadas como Bandeira Vermelha. Isso implica, dentre outras restrições, no fechamento do comércio às 21 horas para reduzir a circulação do vírus.

O Presidente da Câmara, apresentou as próximas ações da Câmara.

A Câmara juntamente com a Prefeitura encaminhará um documento ao  Comitê Gestor do Prosseguir, solicitando uma reavaliação da bandeira vermelha classificada para Maracaju, haja visto que os números diminuíram e não há paciente entubado no município. O  Prefeito já determinou ao Procurador Jurídico para rever o (TAC) Termo de Ajustamento de Conduta e  a Câmara vai realizar na segunda- feira uma Sessão Extraordinária para votar o Projeto de Lei que declara essencial restaurantes e empresas do ramo de alimentos para que eles tenham a tranquilidade de trabalhar, ressaltou vereador Robert Zieman.
É uma exigência que precisa ser cumprida devido ao TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), firmado com o Ministério Público pela gestão anterior e que não pode ser alterado. O descumprimento das medidas do Prosseguir gera em multa diária de R$ 150 mil, dentre outras penalidades.

O pedido a toda população é que compreenda que a Câmara esta fazendo e fará tudo que for necessário para  que todos tenham sua tranquilidade em trabalhar e manter o comércio aberto, mas fazemos o apelo para que respeitem as medidas de biossegurança e o decreto, somente com isso conseguiremos reduzir ainda mais os casos de Covid-19, e assim preservar vidas.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp