Maracaju/MS
21°C
Clear sky
quarta-feira
31°C
14°C
quinta-feira
31°C
14°C
Maracaju/MS
21°C
Clear sky

Campo Grande e duas cidades têm risco extremo para a Covid

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
31/07/2020
Redação

Três municípios de Mato Grosso do Sul estão em grau de risco extremo devido à Covid-19: Campo Grande, Aquidauana e Miranda.

Segundo relatório situacional do Programa de Saúde e Segurana da Economia (Prosseguir), com grau de risco dos 79 municípios do Estado, foi divulgado nesta sexta-feira (31).

Campo Grande se manteve com risco extremo, enquanto Aquidauana, que na última análise estava em grau alto, e Miranda, que constava como médio, tiveram piora na situação e passaram para a faixa de maior risco.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, a situação já é grave na Capital, mas é mais preocupante no interior.

“É mais grave porque pega a comunidade mais vulnerável, que é a comunidade indígena”, disse.

O Prosseguir classifica os municípios em faixas de cores de acordo com o grau de risco, que varia de baixo a extremo, e apresenta recomendações de medidas a serem tomadas no combate a disseminação e aos impactos do coronavírus.

Para as cidades do grau extremo, de cor preta, a recomendação é restrição mais rígida, com o chamado lockdown.

Secretário de Governo, Eduardo Riedel, afirmou que o mapa dá um indicativo muito claro das ações que devem ser tomadas e que governo apenas apresenta recomendações em cima do que a área técnica diz, mas a autonomia de decisões é dos municípios.

“O risco de colapso do sistema de saúde é real, com mais de 90% dos leitos ocupados. Nós temos que diminuir a pressão sobre o sistema de saúde, e só tem uma maneira de isso acontecer, que é aumentar o distanciamento social, o isolamento, evitar aglomerações, gostemos ou não, mas é até hoje o que foi identificado, não aqui no Mato Grosso do Sul, mas no mundo inteiro, como uma saída e uma solução para se evitar um número maior de perdas”, disse.

Campo Grande já estava em bandeira preta no primeiro relatório, quando foi recomendado lockdown. No entanto, prefeito decretou fechamento de atividades não essenciais apenas no fim de semana e flexibilizou a medida a partir de amanhã, com reabertura do comércio em geral.

Riedel afirma que o Estado está trabalhando conjuntamente com os três muicípios em maior grau de risco, para viabilizar o que for possível, principalmente em relação a estrutura de saúde e orientações, mas voltou a afirmar que a autonomia na tomada de decisões é dos prefeitos.

“Nós podemos discutir, convergir, divergir e é natural que isso aconteça, mas nós sempre respeitamos dois fatores primordiais em todo esse processo. Primeiro, ouvir a ciência e deliberar com programas e sugestões em cima do que a área técnica nos diz, o que a voz da ciência nos diz. E segundo, respeitar a autonomia do municípios. Temos que ter esse posicionamento para não virar uma grande discussão politica, uma discussão de quem tem ou não razão”, disse.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp