Maracaju/MS
14°C
Overcast clouds
Dourados/MS
13°C
Overcast clouds

Carro de mulher executada a tiro em Dourados é encontrado em Laguna Carapã

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
21/06/2021
Redação

O carro de Zuleide Lourdes Teles da Rocha, de 57 anos, uma GM Montana, foi encontrado abandonado no final da noite deste sábado (19) na região de milharal na cidade de Laguna Carapã. A mulher foi executada com um tiro na cabeça em Dourados, após uma suposta emboscada que ocorreu no bairro Vival dos Ipês.

Conforme a polícia, o veículo foi localizado por volta das 22h30 por uma guarnição da PM. Próximo ao carro, foi encontrado dois bonés.

O Caso

Conforme boletim de ocorrência, o marido da vítima, que é detetive particular, disse que a esposa foi atender uma cliente, a qual teria feito contato na sexta-feira pela manhã. Esta suposta mulher queria contratar serviço de investigação particular.

Ontem à tarde, Zuleide, conforme o detetive, juntamente com seu sobrinho-neto de 7 anos, se deslocaram para casa da suposta cliente, no bairro Vival dos Ipês. Ele não sabe, no entanto, qual seria o endereço.

Ainda no período da tarde, o detetive disse que estava no município de Itaporã, quando recebeu ligação de um homem informando que estava com seu sobrinho-neto.

Diante da situação, o detetive questionou o que teria acontecido, onde o homem veio a dizer que não sabia, que o menino estava bem e esperando por ele. Imediatamente o detetive disse que veio a Dourados.

Consta no boletim de ocorrência que a criança falou que teria saído com a tia (Zuleide), e que ao chegar em frente da casa da cliente, foram abordados por dois homens. Um deles estava armado e fizeram com que o menino entrasse na Montana.

A Criança ficou com um dos homens no carro e o outro arrastou Zuleide para um matagal na região do Vival dos Ipês. Após algum tempo, o garoto disse que ouviu um “estampido”, parecendo disparo de arma de fogo.

Em seguida, a criança narrou que a dupla o deixou próximo a um contêiner de uma empresa.

O caso é investigado como “homicídio qualificado pela traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido”.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp