CCZ mantém estado de alerta contra a dengue, zika e chikungunya

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
23/07/2022
Redação
Cuidados com a dengue devem ser mantidos, mesmo nesta época do ano (Foto: Assecom)

Mosquito aedes aegypti diminui circulação nesta época, mas ovos já postados esperam água por até 500 dias

Os números da dengue seguem preocupando em todo o Mato Grosso do Sul e, particularmente, em Dourados. Segundo o boletim mais recente do Núcleo de Vigilância Epidemiológica, divulgado nesta semana (veja abaixo), já foram feitas 1.376 notificações em todas as regiões do município, com 773 casos confirmados e 481 com resultado negativo. Outros 122 exames ainda aguardam resultados. Um óbito foi confirmado tendo como causa a dengue em 2022.

Dados das últimas três semanas, porém, mostram uma tendência de queda. Foram 69 notificações, apenas oito na última semana. Mas isso tem explicação, segundo o médico veterinário Luís Carlos Luciano Júnior, coordenador do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses). “É sazonal. Esta época do ano não é a mais favorável ao mosquito da dengue pelas temperaturas mais amenas, que limita seu voo, seu raio de ação. Claro que isso se reflete nos números de notificações e casos que, historicamente, cai neste período”, explica.

De acordo com Luciano, porém, não é época de abaixar a guarda em relação à dengue, zika e Chikungunya, pelo contrário. “Estamos em estado de alerta. Os ovos do mosquito aedes aegypti, responsável pela disseminação dessas doenças, já foram depositados e eles ficam até 500 dias a espera de água para seguir o ciclo. Quando isso acontece, bastam sete dias para se ter o mosquito em fase adulta”, explica.

Para ele, parceria com a população é fundamental para que os casos de dengue em Dourados caiam. “Toda ação é importante, por mínima que seja. Cada um precisa ser responsável pelo cuidado do próprio imóvel e evitar, por exemplo, descarte indevido de embalagens de alimentos vazias em vias públicas. Esse lixo descartado se torna depósitos propícios para proliferação do mosquito”, completa Luciano.

Quer contar alguma coisa? Então conta pro Notícias MS !

Se você tem alguma informação importante e quer compartilhar, conta pra nós!

Conta aí meu Povo:
WhatsApp (67) 98448-9787

Redes Sociais:
https://www.facebook.com/notims
https://www.instagram.com/noticiasms/

O sigilo é garantido pela lei, envie denúncias, reclamações e sugestões.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp