terça-feira, 28 maio 2024

CPI do MST aprova convite a ministros da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário

CPI do MST aprova convite a ministros da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário

25 maio – 2023 | 11:11

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) se reuniu ontem, quarta-feira (24) para votar os requerimentos de pessoas ou entidades a depor. Isso só foi possível depois de um acordo entre situação e oposição para que o termo usado fosse convite e não convocação.

Entre os requerimentos aprovados, estão os dos ministros da Agricultura, Carlos Fávaro, e do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira. Por se tratarem de convites, eles não são obrigados a comparecer à comissão.

Durante a sessão, parlamentares da base governista apresentaram requerimentos com o objetivo de investigar também o agronegócio.

“A gente sabe que a agricultura é muito subsidiada (…), inclusive o agronegócio exportador. Para vocês terem uma ideia, a carga tributária que recai sobre a agricultura, do agronegócio, é de 5% do PIB. Em relação à indústria, isso chega a 30% do PIB”, disse a deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR).

A deputada Caroline de Toni (PL-SC) apresentou o contraditório ao requerimento, que foi rejeitado pela maioria.

“Se a esquerda quer uma CPI do agronegócio, então que vá fazer um requerimento para instalar a CPI do agronegócio, colher assinatura e aí apresentem, instalem, como a gente fez aqui (…). CPI do MST não é CPI do agronegócio. Quem fez invasão de terra foi o MST, não foi o agronegócio”, afirmou a deputada do PL.

A comissão volta a se reunir no próximo dia 30 para seguir votando requerimentos, mas já na segunda-feira (22) foi aprovada uma diligência em assentamentos na região do Pontal do Paranapanema, no interior de São Paulo.

Compartilhe suas notícias conosco!
Possui informações relevantes? Estamos aqui para ouvi-lo!

Entre em contato:
WhatsApp: (67) 98448-9787

Nossas Redes Sociais:
Facebook
Instagram

Garantimos seu sigilo conforme a legislação. Envie-nos denúncias, reclamações e sugestões.
Sua voz é importante para nós!

Últimas Notícias