Dia da Secretária

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
02/10/2019
Kerolay Costa

No dia da Secretária, eu comecei a pensar em diversas situações que acontecem diariamente, em diversas Escolas, Comércios, Consultórios, e sem dúvida não acontecem só com uma pessoa, é um grande senso comum.

O trabalho parece simples, mas as funções de uma secretária vão bem além de um simples anotar recado, ele requer cuidado. Requer atenção e percepção totalmente redobrado. Se você se adaptar, vai perceber que mesmo fora do trabalho vai estar atenta em todo lugar e horário, a mente vira máquina e os pensamentos as vezes por demasia acelerado. De anotar recado à encaminhamento de sala, tudo matematicamente pensado o tempo todo pra não esquecer de nada e dar conta do que está para o dia todo planejado, sem perder a postura mesmo em situação desagradável.

De todas as situações que já me ocorreram até hoje, sem dúvida uma delas me deixou bastante pensativa, reflexiva e eu diria até um pouco mais viva. Em uma certa manhã de segunda feira, alguns visitantes chegavam com seus olhares cansados, com tristeza de mais uma semana ter começado, mas observei que ao cumprimentar um motorista, esse logo me deu bom dia, e com olhar bastante otimista começava seu dia.

Não demorou muito até que outros motoristas chegassem e com esse conversassem, fazendo amizade a toda vista, perguntando o motivo de cada um a visita. Na minha frente estavam aguardando sua nota, quando ouço um deles comentarem “Meu filho fez 7 anos ontem e eu não pude participar”, o outro comenta “Minhas meninas também fizeram aniversário semana passada mas amanhã estou voltando pra casa se Deus quiser ver elas”, um deles brincando “As duas então são gêmeas? Então você tem três mulheres em casa? Que sufoco”, enquanto o pai responde, “Infelizmente são só as duas.”

Os companheiros ficaram sem entender até que ele resolve contar, “O sonho da minha esposa era ser mãe, planejamos tudo, ela engravidou, compramos tudo e de repente descobrimos que eram gêmeas, a alegria tomou conta de casa”, ninguém queria perguntar o final da história, até que ele puxou o celular do bolso, a voz embargou e ele mostrou a foto da esposa grávida. Uns minutos depois e ele continua “No dia do parto, fui com ela até a sala, e eu só lembro de uma confusão enorme na sala, até que pediram pra me retirar. E quando voltei, ela já estava sem vida, e a enfermeira colocou meus dois tesouros no braço.

Eu abraçava elas, e chorava, só eu sabia a dor que estava, mas de uma coisa eu sei, sempre lembro elas da mãe guerreira que Deus a tem. Sou muito feliz com elas, viajo muito deixo elas com a família, nas férias as trago comigo, por elas faço tudo e ficar longe assim delas é castigo. Não vejo a hora de voltar pra casa e encontrar.

No final da história, os companheiros estavam de cabeça baixa, eu com o olhar marejado, e eu tenho certeza que nesse dia todo mundo voltou pra casa desconfortável, dormiu agraciado pela história de João que com sua história de vida nos fez sentir no chão pelo tanto de vezes que reclamamos e desistimos de algumas coisas de antemão.

Eu sei que a vida no comércio não é fácil, eu sei que a correria do dia a dia te deixa na maioria das vezes estressado, mas não perca sua sensibilidade e sua gentileza com o próximo, você não sabe da história do outro lado, nem eles da sua, ou de dentro de você o medo ou resguardo. A você secretária que vive correndo, pra todo mundo tudo resolvendo, que mesmo com assédios, medos, insultos telefônicos ou surtos de excessos, está sempre com um sorriso e um batom no rosto, continue, Deus te dê cada dia mais força, e sorriso, porque no fim, precisamos disso e a que tudo resolve também precisa de ajuda nos corres.