Em Maracaju, Valorização da produção local e força do empreendedorismo são resultados do Cidade Empreendedora

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
05/12/2022
Redação

Iniciativa do Sebrae/MS e Prefeitura Municipal finaliza com contribuições no aumento da formalização de empreendedores; redução de tempo de abertura de empresas e maior participação de negócios locais em compras públicas.

Fomento ao turismo, valorização da produção agrícola local, fortalecimento do empreendedorismo, melhoria na gestão pública com o aprimoramento de processos e desburocratização, além de fomento à educação empreendedora e incentivo à participação de pequenos negócios nas compras públicas.

Essas foram algumas das vertentes trabalhadas pelo segundo ciclo do programa Cidade Empreendedora em Maracaju, executado ao longo dos últimos 21 meses em uma parceria entre Sebrae e Prefeitura Municipal. A iniciativa é encerrada oficialmente nesta segunda-feira (5), em uma reunião realizada no Paço Municipal com a entrega de um relatório com os resultados do trabalho desenvolvido ao prefeito, Marcos Calderan.

Segundo o líder do executivo, a iniciativa promoveu o crescimento econômico do município, por meio de ações articuladas entre o poder público, empresários, produtores rurais e a população em geral.

“O Cidade Empreendedora veio ao encontro das nossas necessidades e anseios como a vontade de desenvolver mais a nossa cidade. O programa chegou em um período importante de retomada econômica, trazendo orientação aos pequenos negócios e um alento para que os empresários pudessem tocar a sua empresa. Isso trouxe muitos benefícios para Maracaju e, para a nossa comunidade como um todo, pois identificou as demandas da população e trouxe todas as ferramentas e os recursos que o Sebrae tem para auxiliar os pequenos empresários”, destacou Marcos Calderan.

Maracaju aderiu ao programa Cidade Empreendedora, pela segunda vez, em março de 2021 e foi acompanhado pelo Sebrae até dezembro deste ano. Nesse período, 37 ações foram realizadas em eixos estratégicos com base na necessidade do município. O principal deles, norteador do trabalho, foi “Cidade de Negócios” com o foco em alavancar a economia através da transformação do desemprego em empreendedorismo. Algumas das iniciativas que tiveram esse propósito foram estruturadas a partir da construção do Plano de Desenvolvimento Econômico elaborado em conjunto com as lideranças locais.

De acordo com o diretor-superintendente do Sebrae/MS, Claudio Mendonça, o comprometimento do poder público e da sociedade civil organizada foi fundamental para repercussão positiva do programa no município. “O Cidade Empreendedora trouxe diversas ferramentas que possibilitaram melhorar o município em muitos aspectos, mas o envolvimento da gestão municipal, dos empreendedores locais, da Associação Comercial e do Sindicato Rural, foi algo fundamental para a conquista de bons resultados. Nesse segundo ciclo, aqui em Maracaju, com esse trabalho conseguimos fortalecer não só o empreendedor, mas também a Prefeitura Municipal, promovendo a geração de emprego e renda e o crescimento de Maracaju”, destacou Mendonça.

Fortalecimento do empreendedorismo

O Sebrae atuou no município de Maracaju melhorando o ambiente de negócios para quem quer empreender e dando suporte tanto para o pequeno empresário quanto para os produtores da agricultura familiar. Neste sentido, foram realizados cerca de 14.500 atendimentos, com a proposta de dar apoio aos empreendedores e interessados em ter o próprio negócio. Deste número, foram alcançadas em torno de três mil empresas distintas localizadas na cidade.

Em conjunto com as orientações, o Sebrae promoveu capacitações para levar conhecimento aos empreendedores e possibilitar o crescimento das empresas. O destaque foi a realização do Dia da Oportunidade, um grande evento gratuito ocorrido em maio deste ano, que ofereceu palestras e oficinas, além de Sessão de Negócios entre os empresários locais e a promoção de uma feira onde os microempreendedores individuais (MEI) e produtores puderam expor os produtos para a população.

Outra grande ação do programa foi possibilitada pela parceria com o Sistema Fiems, quando o Sebrae/MS levou para o município unidades móveis de capacitação. Por meio de carretas equipadas com maquinários de ponta, foram oferecidos cursos nas áreas de redução de desperdício, automotiva, construção civil, transformação digital, informática, costura e panificação.

Paralelamente a esse trabalho, a Sala do Empreendedor do município também recebeu suporte e melhorou à qualidade do serviço oferecido ao empresário, o que garantiu ao espaço o selo Ouro de Referência em Atendimento, concedido pelo Sebrae em 2022 como reconhecimento da qualidade e desempenho ao atender o público. “Temos um atendimento personalizado ao cliente, onde buscamos estar sempre atendendo de acordo com cada um, buscamos conhecer o nosso cliente no dia a dia e fazer algo mais humanizado”, expôs a atendente, Marcela Aires dos Santos.

O resultado do suporte oferecido ao comércio local pode ser observado pelos dados emitidos pela Receita Federal. O número de fechamento de empresas durante a execução do programa, de março de 2021 a junho de 2022, por exemplo, reduziu 28% se comparado com o mesmo período anterior ao Cidade Empreendedora. Além disso, também houve um aumento de 18% no número de empresas ativas no município e o aumento de 52% na formalização de microempreendedores individuais.

Promoção do turismo e valorização da produção local

Um dos potenciais identificados em Maracaju é o ecoturismo e turismo rural com base nas belezas naturais do município e a forte presença da produção agrícola e produtos artesanais derivados do cultivo local, principalmente, na comunidade quilombola São Miguel. Nesse contexto, foi feito um mapeamento da rota do turística por meio de consultoria levada pelo Sebrae para fomentar a área e trazer mais visibilidade para Maracaju em âmbito estadual como mais um destino turístico em Mato Grosso do Sul.

Com esse trabalho, o selo “Sabor de Maracaju”, já existente antes do Cidade Empreendedora, como forma de agregar valor aos produtos da região, foi incluído na Rota Serra de Maracaju e Quilombo. Também foi feito um trabalho para engajar o trade turístico com o envolvimento de empresários do setor e a realização conjunta de ações para alavancar o eixo no município.

No Quilombo São Miguel, por exemplo, os produtores recebem apoio para melhorar o negócio e estruturar a propriedade para, além de melhorar a produção de produtos, também receber turistas que tenham interesse em conhecer a realidade do local. Segundo presidente da comunidade quilombola, Jorge Henrique Gonçalves Flores, com a qualificação foi possível garantir renda para as famílias.

“O Sebrae tem ajudado a gente nesse processo e dado a oportunidade de sermos empreendedores. Agora nossa propriedade é uma empresa. Nós podemos tirar nosso sustento e administrar isso para que ela possa ser uma boa fonte de renda para todos nós. Aqui trabalhamos com horticultura, fabricação de farinha e polpa de fruta. Estamos montando uma sala para processar as frutas como acerola e maracujá, tirar as poupas e fazer a selagem. Na parte de turismo, estamos tentando levar a comunidade para esse lado, aonde as pessoas vêm para conhecer o sistema de produção. Estamos criando uma rota de sabores”, pontuou Jorge.

Desburocratização e Compras Públicas

Mais do que dar apoio aos empreendedores, seja no campo ou na cidade, o Cidade Empreendedora também atuou capacitando os servidores públicos para que pudessem desenvolver o espírito de liderança e a melhoria de processos, o que possibilitou a desburocratização de serviços prestados pela administração municipal. Neste âmbito, foi elaborado um planejamento com adoção de estratégias para a melhoria do ambiente de negócios do município, o que resultou na redução do tempo médio de abertura de empresas em, aproximadamente, 33%, segundo informações do site da RedeSim do Governo Federal.

O município também recebeu suporte e tornou o processo de Compras Públicas mais célere e eficiente, além de aderir a medidas para possibilitar que os pequenos negócios locais sejam priorizados nos editais de licitação – tratamento diferenciado previsto na Lei Complementar nº 123/2006. Com esse trabalho, a Prefeitura Municipal investiu, em 2021 e 2022, no total, R$ 23,2 milhões em empresas locais licitadas para o fornecimento de produtos e prestação de serviços. Outra melhoria foi a adoção de novas ferramentas para facilitar o acesso das empresas locais aos editais de licitação, como o Portal Empreende Maracaju. A plataforma digital também possibilita que os empresários cadastrados acompanhem o cronograma de compras do órgão público e se programem para participar dos pregões.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente de Maracaju, Agadir Mossmann, aprimorar o processo de Compras Públicas foi uma das principais conquistas do município para promover o ciclo virtuoso da economia. “Com esse trabalho, a gente quer que a Prefeitura Municipal compre, cada vez mais, do comércio local. Vejo que esse foi um dos grandes benefícios do Cidade Empreendedora para Maracaju, pois nos trouxe um leque de iniciativas para que a gente pudesse usar o processo de compras municipais para fomentar desenvolvimento de micro e pequenas empresas e gerar renda para a nossa cidade”, pontuou.

Nesse contexto de incentivar o município a adquirir produtos de pequenos empreendedores, foi realizado o 1º Desafio Estadual das Merendeiras. Maracaju aderiu à competição e 30 profissionais participaram da etapa municipal. Além de promover a capacitação e valorizar o trabalho desenvolvido pelas merendeiras nas escolas, a iniciativa exigiu a criação de receitas compostas por alimentos oriundos da agricultura familiar, como uma forma de estimular a prefeitura a adquirir mais itens dos produtores locais, uma exigência prevista pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

Também com a proposta de fortalecer a agricultura familiar em Maracaju, a Feira do Produtor ganhou a implementação de uma nova comunicação visual para que se tornasse mais atrativa para a população. Juntamente com essa iniciativa, os feirantes foram capacitados com palestras e oficinas com a abordagem de temas como atendimento, visibilidade ao negócio e trabalho em conjunto.

Empreendedorismo na escola

Por meio do programa Cidade Empreendedora, estudantes de dez escolas municipais tiveram oportunidade de aprender sobre empreendedorismo em sala de aula. O Sebrae/MS formou os professores para a aplicação da metodologia Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP) e, ao todo, 3.672 alunos do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental foram contemplados. No total, 197 docentes foram capacitados com soluções em empreendedorismo no município.

Outra ação foi o projeto Recicla Verdinho, implementado Escola Municipal Maurícia Paré Gomes. Com o intuito de promover a consciência ambiental, educação financeira e empreendedora, o projeto atende 90 estudantes do 4º ano que podem trocar materiais recicláveis por “verdinhos” e, com a moeda social, adquirir hortaliças, legumes, leite e ovos, na feira da cidade. O material reciclável arrecadado é doado para a Associação dos Catadores Recicla Maracaju e o valor dos produtos fornecidos para as crianças é repassado para os produtores pela cooperativa Sicredi. No município, são 20 produtores da agricultura familiar inscritos para fornecer os produtos, sendo seis integrantes da comunidade quilombola São Miguel.

Mais informações sobre o programa Cidade Empreendedora podem ser obtidas pelo número 0800 570 0800 ou pelo site cidadeempreendedora.ms.sebrae.com.br.

Quer contar alguma coisa? Então conta pro Notícias MS !

Se você tem alguma informação importante e quer compartilhar, conta pra nós!

Conta aí meu Povo:
WhatsApp (67) 98448-9787

Redes Sociais:
https://www.facebook.com/notims
https://www.instagram.com/noticiasms/

O sigilo é garantido pela lei, envie denúncias, reclamações e sugestões.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp