Maracaju/MS
27°C
Scattered clouds
Dourados/MS
26°C
Scattered clouds

Vazio sanitário da soja em MS tem reduzido o aparecimento da ferrugem asiática nas últimas safras

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
16/07/2021
Redação
Ferrugem asiática em lavouras de Mato Grosso do Sul, em um dos últimos registros da doença no estado.

A orientação ao produtor é de fazer o controle com uso de herbicidas ou com preparo do solo, eliminando a soja voluntária, soja guaxa das lavouras, trabalho de auxílio que é realizado pela MS Integração.

Em Mato Grosso do Sul o período do vazio sanitário da soja compreende 90 dias entre 15 de junho a 15 de setembro. Neste intervalo fica proibido o cultivo da soja devendo o produtor eliminar a presença da soja guaxa nas lavouras e/ou na beira das rodovias. E essa técnica de controle fitossanitário tem trazido bons resultados para o estado, com a baixa incidência da ferrugem asiática, uma das principais doenças da soja.

Há registros de baixa incidência da ferrugem asiática nas últimas cinco ou seis safras, pelo menos, na região de Maracaju, no centro-oeste de MS, mitigando os níveis de perdas na cultura para esta doença. De acordo com o pesquisador da empresa MS Integração, Ricardo Barros, a ferrugem é uma doença causada por um fungo biotrófico, que depende do hospedeiro vivo (no caso a soja) para sobreviver.

“Por isso, a importância de se eliminar o hospedeiro (no caso as plantas guaxas de soja), para quebrar o ciclo da doença e iniciar um novo cultivo a partir da metade do mês de setembro com a ausência da ferrugem no ambiente.”, frisa Barros.

Durante o vazio sanitário da soja, os técnicos da MS Integração intensificam as orientações aos produtores atendidos pela empresa, em Maracaju e em mais 57 municípios do estado. “Nós orientamos nossos clientes para que façam o controle da soja voluntária e reforçamos que se esse controle não for feito no vazio sanitário, o produtor pode recair em penalidades e multas”, salientou Ricardo Barros.

Controle

O controle se faz, em sua grande maioria, com uso de herbicidas, ou em alguns casos com o preparo do solo, explica o pesquisador, “Quando há necessidade de alguma intervenção para correção da fertilidade do solo em alguns talhões. Mas a principal orientação é para que seja feita a erradicação o máximo possível de plantas voluntárias de soja até 15 de junho, quebrando o ciclo da ferrugem asiática e de outros problemas fitossanitários que também atacam a soja, como a mosca branca, por exemplo”, ressaltou o pesquisador.

MS Integração

A MS Integração é uma empresa com sede em Maracaju, no MS, com alcance e atendimentos em 58 municípios de Mato Grosso do Sul. Os trabalhos consistem em pesquisa, consultoria, planejamento e agricultura de precisão, voltados para atender o produtor rural e melhorar as produtividades com a produção de soja e milho, de safra em safra.

 

Vanessa Bordin

Foto: Arquivo MS Integração

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp