Maracaju/MS
18°C
Overcast clouds
quarta-feira
22°C
14°C
quinta-feira
20°C
17°C
Maracaju/MS
18°C
Overcast clouds

Laudos são entregues e mostram que Bolsonaro testou negativo para coronavírus

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
13/05/2020
Midiamax
Ueslei Marcelino/Reuters

Presidente passou por três testes com maior eficácia para detectar vírus

Nesta quarta-feira (13), os laudos que mostram os resultados dos testes feitos pelo presidente Jair Bolsonaro, foram entregues pelo governo ao STF (Supremo Tribunal Federal). Neles são perceptíveis que os três exames realizados pelo governante deram resultado negativo para o novo coronavírus.

Os resultados dos exames só foram divulgados à imprensa, após o jornal “O Estado de São Paulo” entrar na Justiça pedindo acesso aos laudos. Anteriormente, o presidente havia dito nas suas redes sociais que não contraiu o vírus, porém, não quis mostrar os laudos.

No documento apresentado pelo governo, as datas dos testes realizados são muito próximas e por isso, houve a opção da escolha pelo método PCR, o mais eficaz para rastrear o material genético do coronavírus, o SARS-CoV-2.

Os laudos foram entregues na noite desta terça-feira (12) ao ministro do STF, Ricardo Lewandowski, relator do processo, que no início da tarde, anexou junto aos autos do processo sem sigilo.

Entretanto, o processo sofreu diversas mudanças em seu percurso desde que Bolsonaro passou pelos testes. A ação movida pelo Estadão sofreu decisões favoráveis, mas ao mesmo tempo sofreu revés com os pedidos do governo no TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3° Região).

Desta maneira, o Estadão decidiu recorrer ao STF e mesmo sem ter uma decisão favorável ou contrária vinda do Supremo, a AGU (Advocacia-Geral da União) cedeu os documentos ao ministro Lewandowski.

Primeiro teste

O primeiro teste feito por Jair Bolsonaro foi realizado no dia 12 de março por uma equipe do Hospital das Forças Armadas. Nele, constavam o CPF e a data de nascimento do presidente, mas com um nome alternativo para preservar a imagem.

A coleta aconteceu um dia após Bolsonaro retornar de uma viagem aos Estados Unidos com outros aliados no mês de março, quando o pico da doença ainda era imprevisível. No teste, foi usado o método PCR, considerado um dos mais eficazes.

Segundo teste

Passando pelo segundo teste desde que retornou dos Estados Unidos, a coleta foi feita no dia 17 de março e realizada por uma equipe de um laboratório privado. A repetição no exame é para comprovar o resultado do primeiro teste e ajudar os “falso positivo” pela janela imunológica – quando o vírus está no corpo, mas não é possível identificar.

Tanto a data de nascimento e o CPF condiziam ser de Jair Bolsonaro, mesmo que o nome do documento fosse fictício. Após o resultado, que deu negativo, o presidente usou suas redes sociais para confirmar que não está com a doença, mesmo que não tivesse apresentado nenhum documento.

Terceiro teste

Um dia após o segundo teste, no dia 18 de março, Bolsonaro voltou a passar por testes para saber se estava com Covid-19. Desta vez, o presidente foi atendido por uma equipe da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), que também utilizou o método PCR para verificar se o vírus estava no corpo.

A amostra colhida foi de uma “secreção de nasofaringe” e no mesmo dia, o teste deu como negativo para coronavírus. O documento seguiu os anteriores, evitando colocar o nome de Jair Bolsonaro, mas dessa vez, não continham CPF ou data de nascimento.

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp