domingo, 14 jul 2024

Neguinho da Beija-Flor encanta a plateia no segundo dia do Festival América do Sul
Cultura

Neguinho da Beija-Flor encanta a plateia no segundo dia do Festival América do Sul

Redação
11 novembro – 2023 | 14:14

“Olha a Beija-Flor aí, gente”. Com seu famoso refrão, o compositor e cantor Neguinho da Beija-Flor subiu no palco da Integração, em Corumbá, na sexta-feira (10), segundo dia de shows do FAS 2023 (Festival América do Sul).

O artista entrou cantando o sucesso que leva o nome da sua escola e também seu apelido, a carioca Beija-Flor de Nilópolis.

Velho conhecido dos fãs corumbaenses – quinta vez que Neguinho se apresenta no Festival – o cantor já emendou a música “Sorriso Negro”. E o público acompanhou disciplinadamente a letra.

Inédita, o bom astral da “Vovó Filé” fez a melhor idade levantar das cadeiras e dançar da divertida canção, que diz que a cinquentona Filé provoca inveja nas menininhas.

Uma senhora na frente do palco delirava de tanta alegria, dançando sozinha.

Neguinho perguntou ao público se estava apaixonado e começou a cantar mais um sucesso, “ Ângela”.

A regravação de “Deixa eu te amar”, de autoria de Agepê, também fez jovens, senhoras e senhores cantar junto com Neguinho.

E o show foi tomando as pessoas de emoção com famosa canção de Benito de Paula, “Retalhos de Cetim”.

E aí chegou o momento de reviver os grandes sambas enredos todos de os tempos das escolas das décadas de 1980 e 1990.

O samba-enredo “É Hoje”, da União da Ilha, com o refrão “Diga, espelho meu
se há na avenida alguém mais feliz que eu”, abriu pout pourri carnavalesco.

“Explode Coração”, que deu o título à escola de samba Salgueiro, em 1993, fez o público delirar. O puxador de samba estava em casa.

E o público tomou um porre de felicidade com “Festa Profana, samba enredo de 1989, da União da Ilha.

E se “sonhar não custa nada”, Neguinho trouxe a música da Mocidade Independente de Padre Miguel.

O compositor não esquece os amigos e chamou ao palco Braguinha, que saiu do Rio de Janeiro há 8 anos para vim morar em Corumbá. Juntos cantaram “Não Deixe O Samba Morrer”, da cantora Alcione.

Um dos momentos mais marcantes foi a entrada das passistas Carol Castelo, Isadora, Dalia Araujo, e o mestre sala Juruna e a porta-bandeira Mari, representando a Liga das Escolas de Samba de Corumbá.

O público, que já estava bem empolgado, também teve a oportunidade de cantar o samba-enredo de 2024, da Beija-Flor: “Um Delírio de Carnaval na Maceió de Ras Gonguila”.

As músicas “Fogo e Paixão”, de Wando; Mulher Mulher”, “País Tropical”, de Jorge Ben Jor e “Whisky a Go-Go”, do Roupa Nova fizeram parte de outro maravilhoso pout pourri.

Já passava da meia-noite quando “Trem das Onze” encerrou a encantadora apresentação de Neguinho da Beija-Flor, um artista querido, prata da casa de Corumbá e do Festival América do Sul.

Alexandre Gonzaga, Ascom FAS 2023
Fotos: Bruno Rezende, Ascom FAS 2023

Galeria de imagens disponível no site: https://www.festivalamericadosul.ms.gov.br/show-neguinho-da-beija-flor/

Compartilhe suas notícias conosco!
Possui informações relevantes? Estamos aqui para ouvi-lo!

Entre em contato:
WhatsApp: (67) 98448-9787

Nossas Redes Sociais:
Facebook
Instagram

Garantimos seu sigilo conforme a legislação. Envie-nos denúncias, reclamações e sugestões.
Sua voz é importante para nós!

Últimas Notícias