Maracaju/MS
24°C
Scattered clouds
quinta-feira
27°C
17°C
sexta-feira
36°C
18°C
Maracaju/MS
24°C
Scattered clouds

O futuro chegou com a Covid-19

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
20/06/2020
Redação

 

As cenas de um filme futurista aonde a calamidade se instala, pessoas se protegendo das próprias pessoas e todos contra um vírus que causa morte em todo o mundo. 

Um vírus que impactou o planeta não é ficção é a vida real, nua e crua que tem nos perseguindo desde o final de 2019. 

O nosso mundo mudou e com ele nós mudamos, claro que em alguns meses essa doença terá uma vacina que imunizará a todos, no entanto esse impacto que ela trouxe ficará por muitos anos. 

Porque essa doença impactou tanto nossas vidas? A COVID-19 afeta diferentes pessoas de diferentes maneiras. A maioria das pessoas infectadas apresentam sintomas leves a moderados da doença e não precisam ser hospitalizadas. 

 As pessoas podem pegar a COVID-19 de outras pessoas que têm o vírus. A doença se espalha principalmente de pessoa para pessoa através de pequenas gotas do nariz ou da boca, que são expelidas quando uma pessoa com COVID-19 tosse, espirra ou fala. Essas gotículas são relativamente pesadas, não viajam longe e caem rapidamente no chão. As pessoas podem pegar a COVID-19 se respirarem essas gotículas de uma pessoa infectada pelo vírus. É por isso que é importante ficar pelo menos 1 metro) longe dos outros. Essas gotículas podem pousar em objetos e superfícies ao redor da pessoa, como mesas, maçanetas e corrimãos. As pessoas podem ser infectadas ao tocar nesses objetos ou superfícies e depois tocar nos olhos, nariz ou boca. É por isso que é importante lavar as mãos regularmente com água e sabão ou limpar com álcool.
 

A OMS está avaliando pesquisas em andamento sobre a maneira como a COVID-19 é espalhado e continuará a compartilhar descobertas atualizadas.     

Os sintomas mais comuns da COVID-19 são febre, tosse seca e cansaço. Outros sintomas menos comuns e que podem afetar alguns pacientes incluem dores, congestão nasal, dor de cabeça, conjuntivite, dor de garganta, diarréia, perda de paladar ou olfato ou erupção cutânea na pele ou descoloração dos dedos das mãos ou dos pés. Esses sintomas geralmente são leves e começam gradualmente. Algumas pessoas são infectadas, mas apresentam apenas sintomas muito leves. 

A maioria das pessoas (cerca de 80%) se recuperam da doença sem precisar de tratamento hospitalar. Cerca de 1 em cada 5 pessoas que recebe COVID-19 fica gravemente doente e desenvolve dificuldade em respirar. As pessoas idosas e as que têm problemas médicos subjacentes, como pressão alta, problemas cardíacos e pulmonares, diabetes ou câncer, têm maior risco de desenvolver doenças graves. No entanto, qualquer pessoa pode pegar a COVID-19 e ficar gravemente doente. Pessoas de todas as idades que experimentam febre e / ou tosse associada a dificuldade em respirar / falta de ar, dor / pressão no peito ou perda de fala ou movimento devem procurar atendimento médico imediatamente. Se possível, é recomendável ligar primeiro para o médico ou serviço de saúde, para que o paciente possa ser encaminhado para a clínica certa. 

 

Apesar dos dados serem alarmantes e não termos ainda a vacina o único modo de combater a propagação desse vírus é através da prevenção, como o uso de máscaras, álcool em gel, higienizar sempre as mãos e sempre que possível ficar em casa.  

 

Quando apresentamos alguns sintomas o que devemos fazer? 

auto-isolamento é uma medida importante tomada por quem tem sintomas de COVID-19 para evitar infectar outras pessoas da comunidade, incluindo membros da família. 

Auto-isolamento é quando uma pessoa que está com febre, tosse ou outros sintomas da COVID-19 fica em casa e não vai ao trabalho, à escola ou a locais públicos. Isso pode ser voluntário ou com base na recomendação do seu médico. No entanto, se você mora em uma área com malária ou dengue, é importante não ignorar os sintomas da febre. Procure ajuda médica. Ao comparecer ao serviço de saúde, use uma máscara, se possível, mantenha pelo menos 1 metro de distância de outras pessoas e não toque nas superfícies com as mãos. Se a criança estiver doente, ajude-a a seguir este conselho. 

– Se uma pessoa está em auto-isolamento, é porque ela está doente, mas não está gravemente doente (requer atenção médica). 

  • ter um grande, bem ventilado, com higiene das mãos e instalações sanitárias 
  • Se isso não for possível, coloque as camas a pelo menos 1 metro de distância. 
  • Mantenha pelo menos 1 metro de outras pessoas, mesmo de seus familiares 
  • Monitore seus sintomas diariamente 
  • Isolar por 14 dias, mesmo se você se sentir saudável 
  • Se você tiver dificuldade em respirar, entre em contato com seu médico imediatamente – ligue primeiro, se possível 
  • Mantenha-se positivo e energizado mantendo contato com os entes queridos por telefone ou online e exercitando-se em casa. 

 

O Brasil chegou a 1 milhão de casos de coronavírus na tarde desta sexta-feira (19), como mostra um boletim extra do levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.  

O que fica até o presente momento é que o mundo mudou drasticamente e jamais voltaremos ao que éramos antes, reuniões, abraços, aperto de mãos serão possíveis quando tudo isso passar, mas o impacto que isso gerou será para sempre.  

 

Paola Cenedesi Loureiro

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp