Maracaju/MS
38°C
Scattered clouds
Dourados/MS
39°C
Scattered clouds

Olimpíadas: Brasil vence Estados Unidos de virada no vôlei masculino

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
30/07/2021
Redação
(L-R) Brazil's Ricardo Souza, Wallace de Souza, Bruno Rezende and Mauricio de Souza react after a point in the men's preliminary round pool B volleyball match between Brazil and USA during the Tokyo 2020 Olympic Games at Ariake Arena in Tokyo on July 30, 2021. (Photo by ANGELA WEISS / AFP)

A seleção brasileira masculina de vôlei venceu os Estados Unidos de virada, por 3 sets a 1, na madrugada desta sexta-feira (30), pela quarta rodada da fase de grupos das Olimpíadas de Tóquio.

Após início complicado, o Brasil cresceu na partida e venceu os medalhistas de bronze na última olimpíada com parciais de 30/32; 25/23; 25/21 e 25/20. A partir do fim do primeiro set, a seleção brasileira começou a forçar mais o saque, dificultando muito o passe da seleção americana e, assim, tendo mais volume de jogo e conseguindo bons contra-ataques.

“Hoje o voleibol é muito a questão do saque. Eles abriram no início do primeiro set com boa sequência de saque do Anderson [Matthew], depois nós abrimos algumas no meu saque. Agora também no final do jogo com o Wallace”, disse Lucarelli após o jogo. “Nós temos uma característica de time agressivo no saque, então é tentar colocar em prática e tentar suportar a pressão, que todos os times hoje em dia vão ter pressão no saque também”, acrescentou.

Neste jogo, o Brasil conseguiu distribuir bem a pontuação entre seus atacantes. Wallace, Leal e Lucarelli terminaram com mais de 15 pontos cada um. Bruninho contou que, com o bom jogo de todo o time, ficou mais fácil conseguir dividir bem as bolas levantadas.

“Quando tá todo mundo dentro do jogo, você percebe que tá todo mundo bem, rodando bola”, disse o capitão da seleção brasileira. “É muito bom para o levantador, porque você consegue fazer as estratégias sem ter preocupações na cabeça”.

Com a vitória, o Brasil ficou mais tranquilo no grupo e pode até se classificar antecipadamente para a próxima fase caso a França perca para os russos. O resultado foi importantíssimo após uma doída derrota para a Rússia. Para Bruninho, a capacidade de voltar mais forte após as adversidades é uma característica forte da seleção brasileira.

“A gente teve uma conversa na chegada da Vila naquele outro dia e, eu falo pra você, esse time é é cascudo”, disse o levantador do Brasil. “A gente foi para a quadra ontem, treinou como se fosse o último treino. E é isso que eu falo, ninguém treina com tanto quanto a gente. Isso aí demonstra o caráter e a dedicação desse time, o tempo inteiro”.

Na sequência, o Brasil encara a França pela quinta rodada da chave. O jogo será neste sábado, às 23h05 (horário de Brasília). O jogo Após derrota para a Rússia, o Brasil começou mal contra os norte-americanos. A seleção sofreu cinco pontos consecutivos nos primeiros instantes da partida. O time, porém, reagiu e empatou a partida em 6 a 6.

A virada veio pouco depois, em belo saque de Wallace. O jogo porém, seguiu apertado, com o Brasil e Estados Unidos se revezando na liderança. A seleção brasileira teve quatro pontos do set consecutivos, mas não aproveitou. Os norte-americanos cresceram e fecharam o primeiro set em 32 a 30.

O segundo set começou no mesmo ritmo do primeiro, com ambas as equipes trocando pontos. A vantagem brasileira só veio a partir do décimo ponto. Na sequência, os Estados Unidos empataram em 15 a 15. A passagem de Lucarelli pelo saque devolveu a liderança do set para o Brasil. Apesar da vantagem, o Brasil sofreu para fechar o set em 25 a 23.

O terceiro set seguiu o roteiro do anterior. Troca de placares no início, boa passagem de Lucarelli pelo saque – com dois aces consecutivos – e Brasil na liderança. Dessa vez, contudo, a seleção atual campeã olímpica soube administrar a vantagem e venceu por 25 a 21.

Atrás no placar, os Estados Unidos começaram o quarto set com bastante intensidade. O Brasil, porém, teve frieza para empatar e, na sequência, virar a partida. Os norte-americanos pressionaram no fim da parcial, mas a vitória foi verde-amarela por 25 a 20.

 

Beatriz Cesarini

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp