Policial ambiental militar após descobrir traição de esposa com corretor de imóveis comete duplo homicídio

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
07/10/2019
Viviane Oliveira
Reprodução/Facebook

O policial militar ambiental continua foragido. A Polícia Civil já solicitou à Justiça a prisão temporária dele de 30 dias

Foi a mulher do corretor de imóveis Fernando Enrique Freitas, 31 anos, que mandou prints de mensagens e ligou para o policial militar ambiental Lúcio Roberto Queiroz Silva, 36 anos, contando sobre um possível relacionamento extraconjugal entre o marido dela, Fernando e Regianni Araújo, 32 anos, esposa de Lúcio. A “denúncia” terminou em duplo homicídio, na noite de sábado (4), em Paranaíba, distante 422 quilômetros de Campo Grande.

Fernando e Regianni foram mortos a tiros pelo policial, que continua foragido. A Polícia Civil já solicitou à Justiça a prisão temporária dele. Lúcio é lotado em Aparecida do Taboado. Testemunhas relataram à polícia que, Lúcio, Regianni e o filho do casal de 8 anos participavam de uma confraternização na casa dos pais do policial, na Rua Barão do Rio Branco, quando o militar recebeu mensagens e uma ligação telefônica da mulher de Fernando relatando uma possível traição entre os dois.

Na mesma hora, Lúcio questionou a esposa sobre o assunto. Ela negou. Mesmo assim, o policial foi até a casa onde Fernando estava, na Rua Osvaldo Silva Brandão, para tirar satisfação. Com a arma em punho, Lúcio desceu do carro e se deparou com a mulher de Fernando e a mãe dela com uma criança de 1 ano no portão. Ele perguntou onde estava a vítima. Elas, então, perceberam a intenção dele e tentaram impedi-lo de entrar.