VACINAS DA JANSSEN CHEGAM A MATO GROSSO DO SUL

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
01/07/2021
Redação

O envio para fronteira será feito em 2 remessas. Por logística e controle, primeira remessa será de 70% do total para um dos 13 municípios.

Os 165,5 mil lotes da Janssen destinados aos 13 municípios da fronteira chegaram esta manhã a Campo Grande, em voo comercial das 7h30. As doses estão destinadas para estudo nos municípios e serão enviadas em duas remessas, sendo a primeira de 70% do total.

A distribuição dos lotes foi aprovada em decisão da Comissão Intergestores Bipartite da SES (Secretaria Estadual de Saúde) e publicada hoje no Diário Oficial do Estado.

O quantitativo de doses foi definido conforme os dados apresentados por cada município.

Das 165,5 mil doses (33,1 mil fracos contendo 5 doses), Ponta Porã receberá a maior parte da remessa, 51.620 doses do total, seguido de Corumbá, com 49.940 doses e Bela Vista, com 9.630 doses (veja quadro abaixo).

No entanto, os municípios não receberão o total previsto de uma vez. O secretário Estadual de Saúde, Geraldo Resende, explicou que a comissão decidiu enviar 70% do total destinado a cada um nesta primeira remessa. A medida, segundo ele, é para ter maior controle do uso e ter reserva, caso seja necessário suprir outras cidades com quantitativo diferente do previsto inicialmente. “Vamos mantendo controle mais rigoroso assim e avaliando conforme as doses vão sendo usadas”, explicou.

Na publicação, também consta como justificativa, ajustes operacionais. “Por uma questão de cautela de acondicionamento, logística de transporte e ajustes operacionais, as doses serão enviadas aos municípios em 02 etapas, sendo 70% no primeiro envio e 30% em momento oportuno, de acordo com as necessidades dos municípios, desde que não haja nenhum prejuízo ao andamento do estudo”.

As doses serão usadas para finalizar todos os grupos prioritários e por faixas etárias em ordem decrescente, inciando de 59 a 55 anos, 54 a 50 anos, até chegar ao limite de 18 anos.

O comitê alerta, ainda, que os municípios devem adotar todas as medidas para evitar o “turismo de vacina”, exigindo, além do cartão do SUS, documento pessoal com foto e outro comprovante, como título de eleitor, carteira de trabalho, declaração de endereço profissional, contrato de aluguel e declaração de matrícula, no caso de estudantes.

O município que concluir a totalidade da vacinação do respectivo grupo por faixa etária e possuir doses remanescentes, restituirão as mesmas imediatamente à Ceve (Coordenadoria Estadual de Vigilância Epidemiológica), para serem redistribuídas proporcionalmente aos demais municípios participantes do estudo.

Por Silvia Frias

Quer contar alguma coisa? Então conta pro Notícias MS !

Se você tem alguma informação importante e quer compartilhar, conta pra nós!

Conta aí meu Povo:
WhatsApp (67) 98448-9787

Redes Sociais:
https://www.facebook.com/notims
https://www.instagram.com/noticiasms/

O sigilo é garantido pela lei, envie denúncias, reclamações e sugestões.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp