Find the latest bookmaker offers available across all uk gambling sites www.bets.zone Read the reviews and compare sites to quickly discover the perfect account for you.
sexta-feira , 15 fevereiro 2019
Notícias de Última Hora
karabuk bayan escort kastamonu bayan escort burdur bayan escort kirikkale bayan escort nigde bayan escort aksaray escort amasya escort erzurum escort bartin escort batman escort
Home / Notícias / Bolsonaro e Haddad atacam um ao outro pelas redes sociais na largada para o 2º turno

Bolsonaro e Haddad atacam um ao outro pelas redes sociais na largada para o 2º turno

Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL) usaram as redes sociais para atacar direta ou indiretamente um ao outro no início da campanha para o 2º turno.

Em publicações destas segunda (8) e terça (9), os candidatos trocaram acusações diretas, principalmente relacionadas à propagação de conteúdo falso na internet.

De segunda até as 18h desta terça, Bolsonaro fez 20 postagens no Twitter. Dessas, 5 foram ataques diretos a Haddad e outras 3 miraram propostas, apoiadores ou o PT. No Facebook, em 11 postagens, foram 5 ataques – 3 diretos ao petista.

O candidato do PSL acusa o adversário de espalhar “fake news” sobre seu projeto de governo, dizendo que o petista está “inventando” que ele prevê aumento do imposto de renda para os mais pobres.

Nas publicações, Bolsonaro também diz que o PT “ameaça a democracia” e insinua que, se eleito, o partido vai comandar o país “de dentro da cadeia”.

View image on TwitterO pau mandado de corrupto me propôs assinar “carta de compromisso contra mentiras na internet”. O mesmo que está inventando que vou aumentar imposto de renda pra pobre. É um canalha! Desde o início propomos isenção a quem ganha até R$ 5.000. O PT quer roubar até essa proposta.

Já Haddad fez ataques diretos a Bolsonaro em 11 de 61 postagens no Twitter – outras 4tiveram como alvo apoiadores, propostas ou o partido do adversário. No Facebook, foram 4 ataques em 25 posts.

Em um deles, Haddad ter tentado uma “aproximação” com a candidatura do adversário para “estabelecer um protocolo ético” contra as notícias falsas. Afirma ainda que Bolsonaro recusou o acordo porque “se beneficia com essas mentiras”.

O petista também acusa o rival de representar o “radicalismo” e diz que seu plano de governo “corta direitos” da população.

O Bolsonaro não quer assinar um protocolo ético e isso é um atestado de desonestidade. Se ele tivesse interesse de retirar as mentiras da internet, teria aceitado o acordo. A gente sabe de onde vem e por isso ele não tem interesse em combater, ele se beneficia com essas mentiras.

Os candidatos do PSL e do PT tiveram 46,03% e 29,28% dos votos válidos no primeiro turno, respectivamente. Eles decidirão no segundo turno, em 28 de outubro, quem será o presidente do Brasil pelos próximos quatro anos.
Fonte: G1

Sobre Vanessa Coelho

Veja mais!

Com recursos de R$ 29 milhões para 2019, governador quer organizar agricultura familiar no Estado

Em 2019, com recurso garantido no valor de R$ 29 milhões destinados à agricultura familiar ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *